Inscreva-se em nossa newsletter!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Tão longe, mas tão perto


Xirra e a gente (créditos: Fábio Nascimento/TEDxVer-o-Peso)
A equipe e os palestrantes do TEDxVer-o-Peso "Atitudes que renovam"

Por Christiane Kokubo e Camila Nakaharada

Estamos prestes a finalizar o bloco “NÓS”. Depois de intensos “EU” e “TU”, Analu Xirra sobe ao palco, começa a falar e, de repente, damos de cara com a nossa foto no telão, gigante, pra todo mundo ver. E, não bastasse a honra da exclusividade de tal momento, ainda recebemos palmas! Logo a maestrina convida e os integrantes da orquestra sobem ao palco. Uma a uma e um a um, os músicos responsáveis pelas melodias do TEDxVer-o-Peso se reúnem e recebem o reconhecimento por terem realizado um concerto tão bonito. Agora sim, todos juntos, fazemos sentido.

Acompanhamos tudo de longe em 23.03.2013, esse dia encantado. Pela tela do computador, de Mogi das Cruzes, interior de São Paulo, e Starksboro, uma vilazinha em Vermont, nos Estados Unidos, participamos do TEDxVer-o-Peso “Atitudes que renovam”. Participamos, sim, porque estávamos lá o tempo todo, antes mesmo da Xirra pedir que nossa foto aparecesse pra todo mundo ver. Estávamos longe, mas estávamos perto.

E sentimos as emoções e choramos e fechamos os olhos e abraçamos, mesmo sem abraçar. Fomos tocadas pela Débora e suas decisões sem fronteira, Fernanda, suas bolsas e saltos cada vez maiores e a coragem de mudar, Rodrigo e as preciosidades da organização e bom aproveitamento do tempo para ser feliz. No bloco “EU”, ouvimos ainda Mark e a importância dos pequenos detalhes para ajudar o outro e uma breve palavra de Chris Anderson, o curador dessas três letrinhas poderosas que tanto inspiram, TED.

Depois do intervalo, aplaudimos Adriana e suas palavras tão sábias e didáticas, desejamos estar no SESC Boulevard para trocar camisetas e interagir com tanta gente bacana, paramos pra pensar com Leandro e os (não) conceitos de homem e mulher de verdade, ficamos indignadas com a Marlúcia e a Amazônia Maranhense ameaçada, fomos embaladas pela voz de Camila, acompanhada pela guitarra do Felipe. E demos risada com Adora e sua simplicidade e lucidez juvenis.

Nos intervalos e almoço, a gente se ligou. “Bom, agora na parte da tarde, dividimos as postagens assim”. E ao longo do dia, nos revezamos entre os multi canais das mídias sociais para deixar tudo ali registrado, de como 23 de março de 2013 estava sendo renovador e transformador. Com o mesmo carinho que dedicamos às mídias sociais e blog ao longo desse último ano.

Quisemos com todas as forças caminhar juntas dos participantes, sentir o vento de Belém no rosto e almoçar no Point do Açaí. Mas nos contentamos com a conversa virtual, enquanto imaginávamos os sortudos degustando as delícias paraenses.

E o bloco “NÓS” começou com tudo. Adoramos o Felipe de novo no palco e suas palavras tão inspiradoras da Bréa Epoque. Aí veio o Derek explicando como começar um movimento, e a Elizabete com sua história de batalha, inspiração e muita, muita força de vontade. O Pedro não deixou por menos e cativou com Flordelis e seu relato. Aprendemos muito com o Bunker e as renovações que espalhou pela Índia. E vibramos com a equipe toda no palco, linda, linda, linda.

Bom, voltamos para o último bloco com uma mistura de tristeza e muita alegria. Tristeza porque era o último, poxa. E alegria, muita alegria, porque, mesmo de longe, estávamos pertinho desse evento extraordinário, ajudando a conectar muita gente e a espalhar muita ideia que merece ser espalhada.

Nosso bate-papo pelo Skype durante esse último intervalo foi com voz embargada e lágrimas nos olhos. “Melhor não falar muito, porque ainda tem o “GAIA” pra cobrir, fazer print screen, espalhar pela internet. Vamos aguentar”, dávamos força uma pra outra. Ursula voltou ao palco, pediu dez segundos de silêncio, silenciamos. Ouvimos a sabedoria do Marcos, abraçamos árvores com a fala e fotos da Juliana, demos risada com o Paulo citando a filha e agradecemos MUITO depois de ver o vídeo do Louie. Com Filipe e Jesus Alegria dos Homens não deu pra segurar. Daí em diante, a chorareira foi geral, lá no SESC e desse lado da tela também. E Xirra e Karina no palco, e a gente enlouquecida dando print screen, pra tentar registrar tudo e não deixar aquele momento ir embora. E depois que a câmera deixou de fazer a transmissão ao vivo, a gente fez uma última ligação pra tentar combinar algo pros próximos dias, bem desconcertadas com tudo aquilo que tínhamos vivido naquele sábado surreal.

A gente estava lá, junto de vocês, na Praça do Carmo, confraternizando esse encantamento que foi – e que reverbera com forças – o TEDxVer-o-Peso “Atitudes que renovam”. Talvez vocês não tenham visto ou sentido, mas estávamos lá, vivendo o calor de Belém e absorvendo cada segundo daquele sonho que tinha virado realidade.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Somos nós!




Amanhã, depois de um ano de muito trabalho, amor e diversão, é o GRANDE DIA! Nosso time está empolgadíssimo, preparando os penúltimos e últimos detalhes no Sesc Boulevard. Emoção à flor da pele e muita expectativa!

Somos nós:
Ana Luiza Violato Espada (Xirra)
Já organizou 3 eventos TEDxVer-o-Peso. O primeiro, em 2011, como voluntária, em 2012 como co-host no TEDxVer-o-PesoChange e, agora, como licenciada oficial do TED, liderando a equipe de voluntários. Também ajudou no TEDxRio+20 e participou de outros eventos TEDx. Paulista de Campinas, chegou à Amazônia e descobriu que a mata também é feita de gente. Hoje promove atividades de manejo florestal pela sustentabilidade e valorização econômica da região. Organizada e proativa, deixa a paixão fluir, mas sempre com pé no chão! Acredita no poder revolucionário das ideias para fazer a diferença.

Karina Miotto
Idealizadora do TEDxVer-o-Peso. Em 2012, organizou o TEDxVer-o-PesoChange e agora é co-organizadora. Parte da comunidade TED Global, já participou da conferência na Escócia e, no ano passado, foi até o TEDxSummit, primeiro encontro mundial de organizadores de TEDx, realizado no Qatar. Nesta edição do evento, Karina coordena a comunicação, idealizou o concurso de fotografia, cuida da curadoria, preparação de palestrantes e conceito dos blocos. Sente-se grata pela semente TEDx que ajudou a espalhar em Belém! 

Alice Vasconcellos
Designer apaixonada por Educação. Sua valiosa contribuição com o TEDxVer-o-Peso começou em 2011, quando cuidou de toda linguagem visual do evento. De acordo com muitos participantes do TEDxSummit, que aconteceu no Qatar, nossa sacola de brindes, desenhada com esmero por Alice, foi eleita uma “das mais bonitas” entre o mundo TEDx. Continua sendo nossa Diretora de Arte.
facebook, pinterest, twitter, skype: alicevbo

Bernardo Reis
Advogado especialista em Direito Internacional, é o consultor jurídico do TEDxVer-o-Peso. Apaixonado por conhecer lugares, culturas e pessoas - já morou na Europa como estudante e na África como voluntário de um parque de leões -, sonha em conhecer todos os países do mundo!  Acredita no poder da justiça, da informação e das boas ideias, ferramentas indispensáveis para transformar o mundo.

Bianca d'Aquino
Adora cinema, séries, música, pessoas e conversas. Nunca morou fora do País, nunca pulou de paraquedas, sempre sonhou em fazer algo pra melhorar o mundo. Acredita que mais do que apontar erros é preciso apontar soluções. Considera o TEDx um jeito diferente de discutir e mudar o mundo e uma forma de aprendizado inigualável.

Camila Mikie Nakaharada
Ao clicar num vídeo enviado pela prima Chris, um dia foi abraçada pelo movimento TED. Espalha pelas mídias sociais que o TEDxVer-o-Peso quer sacudir Belém. Bióloga de São Paulo, tem o coração na Amazônia e, inquieta com o que estamos fazendo com o planeta, encontrou no time de comunicação a maneira de contribuir com o TEDx, um evento onde já viu muitas pessoas que quer ser quando crescer.

Christiane Kokubo
Foi por sugestão de um dos irmãos que um dia mergulhou no mundo TEDx e não parou de encontrar motivos para novos deslumbramentos. Daí, virou parte do time de comunicação do TEDxVer-o-Peso. Ajuda a cuidar das mídias sociais, das traduções e de textos do evento. Tem a grata alegria de compartilhar as responsabilidades com sua prima caçula e de fazer parte de um time tão especial.

Dandara Ramos
Escolheu a Psicologia por ser apaixonada pelo ser humano. Depois de ter participado da plateia, fazer parte da equipe do TEDxVer-o-Peso é, pra ela, honra sem tamanho. Trabalha na produção, viabilizando e negociando coffee breaks, almoço, espaço, além de ter ideias de como deixar os participantes mais imersos no espírito TEDx. Sente que está fazendo grande diferença na vida das pessoas.
@dandara_costa
e-mail: dandara.ramos@hotmail.com 

Larissa Stoner
Bióloga atuando na área socioambiental há 12 anos, foi uma das organizadoras do TEDxVer-o-Peso de 2011. É nossa líder de captação de recursos e articuladora das diversas parcerias. Busca empresas que, como ela, acreditam que uma Belém melhor é possível. Conta com o apoio desta equipe de pessoas incríveis que mostram o verdadeiro sentido do espírito voluntário e coletivo!

Mireille Pic
Nasceu catarinense, criou-se mineira e paulista, em Brasília graduou-se em engenharia florestal e se casou. Mireille vive desde 2011 com toda a família em Belém. Fez mestrado em Viçosa e em Montpellier teve 3 filhas. Voltou pra Brasília pro nascimento do caçula. Fazer parte da captação e da organização do evento com pessoas de horizontes tão diferentes do seu foi uma atitude que a renovou!

Peri Dias
É daqueles que sempre dizem que viajar é a melhor coisa do mundo. No TEDxVer-o-Peso, está percebendo que dá para botar de pé o que antes era só uma ideia sensacional. Jornalista, é um dos responsáveis pelo blog e pela divulgação do evento à imprensa. Também contribui para a seleção dos participantes e para a orientação dos palestrantes sobre como tornar suas palestras ainda mais interessantes.

Rafael Araújo
Fotógrafo documentarista engajado em causas socioambientais, já viajou boa parte da Amazônia registrando o jeito da floresta. Atua na produção do TEDxVer-o-Peso, buscando iniciativas que venham contribuir. No concurso Imagens que Renovam, com a Chris, fez a curadoria acontecer por reuniões virtuais. Baseado na vibrante Belém, é o responsável pela exposição fotográfica das 10 imagens vencedoras.

Raphaella Marques
Jornalista apaixonada, mestranda em Arte, Cultura e Sociedade, sua maior função no TEDxVer-o-Peso tem sido fuçar assuntos interessantes e descobrir parceiros. Dedica-se a pesquisar brindes, agências de comunicação, produtoras de audiovisual, atrações artísticas, restaurantes aconchegantes com comidinhas legais. Tudo para bem receber nossos palestrantes e participantes.

Roberta Rabelo Gravina
Animada com as grandes possibilidades de Belém, a cidade que adotou para viver, sua grande contribuição tem sido na estratégia de captação de recursos, junto com a Larissa. Tem certeza de que nenhuma visita ou reunião foi em vão - todas plantaram a semente da importância do TEDxVer-o-Peso para o mundo que pretendemos construir.

Apresentadora: Ursula Vidal
Voluntários:
Ana Goelzer
Debora Leal
Eduardo Hildebrandt
Edvaldo Souza
Igor Vianna
Juliano Augusto
Lorenda Raiol
Luiz Sanches
Ronildo Souza

quarta-feira, 13 de março de 2013

Compartilhando o espírito TEDx

Na expectativa para começar o TEDx Jovem@RuaAugusta
(foto: www.facebook.com/pages/TEDx-Jovem-Rua-Augusta) 

Por Camila Mikie Nakaharada

Compartilhar é preciso. É o que vem na cabeça depois de uma tarde inspiradora no TEDxJovem@RuaAugusta, na Escola São Paulo, que aconteceu no primeiro sábado de março, 02/03. Para quem não conhece, a rua Augusta é “uma das ruas mais democráticas, onde convivem diversas tribos, desafios e soluções” – como descreveram palestrantes e organizador . Onde a vida ocorre, corre e se encontra. “Me gusta rua Augusta”, estava rabiscado na parede de vidro do auditório. E, refletindo tudo isso, foi aí que a Escola São Paulo nasceu. André Gravatá, veterano de palco e bastidores de TEDx, explica o tema, que desde a inscrição já convidava para a reflexão. Quem nunca se perguntou Como transformar ideias em prática? E o que é a prática se não atitudes, tema do TEDxVer-o-Peso? Na verdade, todos os TEDx estão conectados, afinal, são ideias que merecem e precisam ser compartilhadas. E esse post com seus hiperlinks tenta cumprir essa missão.

Plateia cheia, começamos a tarde com o olhar pela beleza do mundo: trata-se da capacidade do deslumbramento sobre as pequenas coisas cotidianas que os poetas nos fazem enxergar. Com o tema Poesia ao redor, Alexandre Oyamada citou, por exemplo, que para Manoel Barros, uma árvore em pé não é só uma árvore em pé, mas é todo encantamento de como “o chão pare a árvore”. Transformou essa ideia no movimento Mais Poesia, pelo qual qualquer pessoa pode baixar e espalhar mais poesia pela cidade.  É um convite para religar as pessoas à poesia, refinando o olhar. Assim, estabelecendo relações, nos encontramos com os outros e consigo mesmo.

Do encontro de paixões pela arte da transformação, Naná e Dani colocaram brincadeira em prática. Naná tinha um sonho (não sei se ainda tem) de ser mecânica de discos voadores e Dani acredita em uma educação inspiradora e amorosa. Desse encontro, com uma super sintonia, na palestra Mãos criativas e cabeça inteligente, contaram como nasceu o TooDo Eco, transformando o lixo “que de tão comum, tornou-se invisível” em brinquedos educativos, com  materiais 100% reciclados.

Tony Marlon compartilhou sua jornada de Não querer mais mudar o mundo e ir lavar meu próprio prato por meio de citações de músicas, familiares e amigos, como o Dimas Reis: “Já parou para pensar que a pergunta é um convite para o outro existir?”. Foi assim, com insights de um olhar atento para a beleza do mundo -dos segredos que a vida sussurra em nossos ouvidos- que transformou a ideia de uma comunicação que informe, inspire e mobilize na incrível Escola de Notícias.

Aí as irmãs Camila e Anna Haddad contaram sobre uma outra escola. Dessas que a gente conhece, onde nos ensinam que tudo deve ter um padrão e árvores simplesmente não podem ser pintadas de amarelo e ter um pirulito ao lado de um elefante (do tamanho da árvore). Com a ideia fixa que a vida deveria ter um propósito e motivação, decidiram Agir primeiro e refletir depois. Essa é a essência do processo de desescolarização que Camila compartilhou e junto com a irmã colocou em prática na start up Cinese, porque “é dividindo que o conhecimento se multiplica”. Do grego, kínesis é movimento, mudança, agitação da alma no mundo.

Pode ser que você não tenha os materiais que acha que precisaria. Pode ser que ainda não tenha a visibilidade que gostaria. Os outros podem te chamar de louco. Ou então, ouvir o que dizem na escola, “você não pode sair do seu quadrado”.  Alexis Anastasiou achou tudo isso um bom sinal, e disposto a quebrar a cara –esse foi um de seus principais conselhos- colocou em prática o Vídeo Guerrilha: megaprojeções que saem de qualquer quadrado convencional para a arte invadir o cotidiano. Arte que deslumbra, transforma faixadas, reinventa espaços urbanos, como a própria Rua Augusta. Essas projeções gerando olhares curiosos lembraram o Projeto #Symbiosi, apresentado por Roberta Carvalho no primeiroTEDxVer-o-Peso.

No intervalo, passamos por uma compressão do tempo. O que deveria durar 20 minutos, durou pouco mais que 5 minutos, tenho certeza. Ou mentiram para nós, ou o papo estava muito bom. Nas paredes de vidro do auditório onde rolava o TEDx, fomos convidados a fazer mais conexões. Cada um escrevia “PRECISO DE...” entender mais português/conhecer pessoas novas/ produtor para documentário. “CONTRIBUO COM...” livros/ audiovisual/ nome pra sua marca, pro seu filho  /“CONTATO...” muitos contatos! Tudo para transformar ideias em prática.

O segundo bloco começou com Marcelo Yuka, que falou sobre o “não sei”. Parece que sabia. Falou das formas de amor. Marcelo compartilhou influências, experiências, ilusões da indústria cultural e “da certeza das incertezas”, sobre o ser humano e ser humano, com seus defeitos e fragilidades. Nesse caminho, pelo qual todos passamos, são decisões práticas que devemos tomar, baseados no que temos, vemos, sentimos e que pode ser bom para o outro. E isso é uma forma de amor. Um ato corajoso. E de tudo, só restam encontros.

Em seguida, Ivan Arcuschin apresentou o presente da Escola São Paulo para a Rua Augusta. Embrulhado pela vontade de ser muitas coisas ao mesmo tempo, com laços de criatividade e inovação, o LAB São Paulo é uma ideia para revitalizar a vida nas ruas, tanto das fachadas quanto a que está presente em cada pessoa.

Outro presente para a cidade de São Paulo é o Festival “colaborativo, horizontal, independente e auto-gestionado” Baixo Centro. Com a ideia de que “Espaços públicos devem ser públicos”, colocaram em prática o festival, que conta com uma “curadoria de cuidadoria”, para cuidar de todo mundo que se inscreve (começou com 150 e esse ano foram mais de 500). Acreditam que a rua “é o local do encontro, não de passagem ou do medo”, nem da especulação imobiliária, por isso, ocupam as ruas com atividades e intervenções artísticas, conversas, performances.

Que mistura boa! E por causa de tanta mistura, os pais de Marcela Coelho chamavam sua vontade de se envolver em diversos projetos de “falta de foco”. Ela chamava de “múltiplas causas”. No vídeo Sonho Brasileiro, ela encontrou um jeito de explicar para o pai: era uma “jovem-ponte”. Enquanto o mundo dizia não, ela resolvia seguir os conselhos de Desmond Tutu, o caminho do “Por que não? Por que não construir pontes ao invés de muros?”. Empreendedores utopias não é contraditório, é o sonho levado a tantos outros jovens através da Semana Global do Empreendedorismo. Como transformar ideias em praticas? “Gandhi dizia: ‘Seja você a mudança que quer ver no mundo’, pode parecer clichê, mas é verdade, não há outro caminho”, encerrou Marcela.

Quando disseram que era a última palestra, parecia mentira. Carlos Inada e Jackson Ducorre apresentaram um dos desdobramentos do prêmio vencedor do TED 2011, o Inside Out, do artista JR. Um projeto que quer virar o mundo do avesso através da arte. Com a ideia da Arte, comunidade e nossa humanidade compartilhada, Carlos coordenou o Inside Out São Paulo, no Moinho em 2012, na época que a favela sofreu um grande incêndio. Junto com o rapper Jackson, o Inside Out Rap Comunidade quer mostrar a face humana, com imagem e ricas histórias, uma humanidade compartilhada. Esse novo significado para a fotografia fez lembrar a palestra do nosso curador do concurso Imagens que Renovam, Alexandre Sequeira, no TEDxAmazonia. Já fizeram projetos juntos com o Vídeo Guerrilha e o próximo projeto é na Baixada Santista, na área continental de São Vicente.

Compartilhar ideias, sinapses revolucionárias, projetos malucos, super talentos, sonhos do tamanho da Rua Augusta, de São Paulo ou do Brasil, poemas e segredos da vida, formas de amor.  É esse o espírito do TEDx. Acreditamos no poder que esse evento tem para inspirar, fazer refletir, transformar ideias em atitudes que renovam. Foi tudo isso que motivou compartilhar um pouco do que foi o TEDx Jovem@ Rua Augusta, em forma de alegria e agradecimento. É também esse espírito que move cada um do time de realização para construir esse TEDxVer-o-Peso para a cidade de Belém.

Já viram quem serão nossos palestrantes? Conhecem seus projetos? Quais ideias eles trarão para Belém? Como será ver de perto tanto brilho nos olhos? Quantas pessoas incríveis irão se conhecer e compartilhar boas histórias? Está chegando! Nós estamos ansiosos! E vocês?

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Carnaval com Pará


Carro em homenagem à Ilha de Marajó
(foto: Rodrigo Gorosito/G1)

Por Camila Nakaharada, Christiane Kokubo e Karina Miotto

O Carnaval é esquisito. Tem gente que tem ojeriza, tem gente que idolatra, tem os indiferentes, tem quem ensaie o ano todo pra participar. É polêmico, sem dúvida. Em alguns lugares mais do que em outros, por conta dos envolvimentos publicitários, os sambas-enredos patrocinados, o afastamento do público, o trabalho infantil envolvido, que muita gente não vê.

Tudo isso é grave.

Mas o Carnaval tem momentos de emoção e alegria também. Quando a gente vê uma grande escola de samba no Rio de Janeiro homenagear o estado do Pará, onde está a nossa Belém, sede do TEDx-Ver-o-Peso, dá vontade de colocar o gogó pra funcionar. Desafinado solta a voz bem alto, perna-de-pau vira bailarino.

Quem não estava lá ao vivo e vê pela televisão ou pelo computador se emociona de qualquer jeito. Mesmo que não saiba o que seja carimbó, oby, cuara, que nunca tenha sentido o calor humano dum Círio de Nazaré. Mesmo que não seja lá muito fã da Fafá de Belém, da Gaby Amarantos, da Dira Paes, da lambada do Beto Barbosa, não tem jeito. Estava todo mundo lá vibrando junto, homenageando o Pará. “O Pará, seu sabor, seu cheiro, sua gente, suas tradições, estão na Avenida”, diz a sipnose do enredo. Até mesmo quem nunca pisou “nesse talismã do nosso país” é capaz de ter sentido vontade de chorar, tamanha a emoção causada pelo desfile da Imperatriz Leopoldinense.

Todo enredo conta uma história. E a magia dos carnavalescos da Imperatriz foi recontar a do Pará, que também foi cantada em outros carnavais, pela Beija-Flor, em 1998, e pela Viradouro, em 2004. Na madrugada da terça-feira (12), referências e reverências fizeram dos elementos locais a juta para trançar os versos, a poesia entitulada “Pará, o muiraquitã do Brasil”. A floresta, os índios, o Teatro da Paz, o mercado Ver-o-Peso, a festa de Círio Nazaré, a santa Nossa Senhora de Nazaré, a cerâmica marajoara, o carimbó e o tecnobrega... “Pra falar de riqueza pelas bandas daqui, tem que voltar pra floresta (…) quando o homem aprender com a gente daqui, a natureza respeitar / Todo povo vai sair na rua pra cantar”.

Eram 3.200 integrantes da escola balançando a cadeira e incentivando o coral improvisado no sambódromo. Karina Miotto, parte da nossa equipe e co-organizadora do TEDx-Ver-o-Peso, estava lá e sentiu o corpo tremer e se arrepiar. “Foi realmente incrível ver o Pará tão bem representado pela Imperatriz. Como não havia lido sobre todos os desfiles antes de chegar ao sambódromo, o que tive foi uma grata surpresa. Deu muita saudade do ex-lar! Que bom que logo estarei de volta, graças ao TEDxVer-o-Peso. Foi lindo demais!”, comemora.

Depois de 1h19 de desfile, a Imperatriz conquistou um disputado 4o lugar na colocação geral, o que garante sua volta pro sambódromo no desfile das campeãs de amanhã, sábado, 16/02, a partir das 23h10.

“Exemplo do mundo, Pará!” Que vontade de te visitar. Quer uma boa chance pra saborear os temperos e aguçar o paladar das boas ideias que renovam? As inscrições para participar da plateia do TEDxVer-o-Peso vão até o dia 22 deste mês, e o resultado da seleção sai no dia 1 de março. Aproveite!

E se você quiser conferir o samba-enredo

Autores: Me leva, Gil Branco, Tião Pinheiro, Drummond e Maninho do Ponto
Intérpretes: Dominguinhos do Estácio e Wander Pires

Raiou Cuara!
Oby aos olhos de quem vê!
Eu bato o pé no chão, é minha saudação,
Livre na pureza de viver!
Sopra no caminho das águas
O vento da ambição!
O índio, então...
Não se curvou diante a força da invasão,
Da cobiça fez-se a guerra,
Sangrando as riquezas dessa terra!
Cicatrizou, deixou herança,
E o que ficou está em cartaz...
Na passarela, “estado” de amor e paz!

Siriá... Carimbó... Marujada eu dancei!
No balanço da morena... Me apaixonei!
O bom tempero pro meu paladar...
De verde e branco “treme” o povo do Pará!

A arte que brota das mãos,
Dom da criação, vem da natureza...
Da juta trançada em meus versos
Se faz poesia de rara beleza!
Oh! Mãe... Senhora, sou teu romeiro,
A ti declamo em oração:
Oh! Mãe... Mesmo se um dia a força me faltar,
A luz que emana desse teu olhar
Vai me abençoar!

No Norte a estrela que vai me guiar,
Exemplo pro mundo: Pará!
O talismã do meu país,
A sorte da Imperatriz!

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Enquanto isso, nossa equipe...


Karina Miotto e Analu Espada, co-host e host do TEDxVer-o-Peso
(foto: Marcelo Lelis)

Por Karina Miotto

Organizar este evento tem sido pra mim mais uma bela lição de extrema competência e de trabalho em equipe. De correria, muitas vezes de tal forma que, após trabalhar as oito horas diárias em nossos empregos, varamos a madrugada preparando site, textos, fazendo reuniões que gostamos de chamar de "encontros produtivos" para acertar antipenúltimos, penúltimos e últimos detalhes de produtoras, lugares na plateia, impressão de livreto, das fotografias vencedoras do concurso, o menu do almoço, do coffee break, a qualidade de áudio e vídeo, a decoração do cenário, a logística que teremos com palestrantes, as passagens aéreas, as hospedagens, as parcerias, os patrocínios. Isso, do time que está em Belém.

Eu, do Rio, penso a comunicação de todo o evento - cara do site, imagens, textos, tudo e qualquer coisa que de alguma forma mostre as caras do TEDxVer-o-Peso ao mundo - ao mundo sim, pois em nosso site recebemos visitantes dos Estados Unidos, Chile, Portugal, Itália, Espanha, Inglaterra, Austrália... isso sem falar que toco a curadoria dos palestrantes e a preparação deles para que enquadrem suas palestras no formato TEDx, o que inclui horas de conversa com cada um. Só consigo fazer isso porque tenho uma equipe linda comigo, eficiente, engajada, apaixonada, criativa. Sei com quem posso contar.

Teve um dia na semana passada que era 1 da manhã e eu falava com a Analu Espada, host desta edição do evento, sobre palestrantes. Ela tinha acabado de sair de um EP. Mal acordo e já me vejo falando com o Marcelo, da Ilhabela Digital, para acertar os últimos detalhes do formulário de inscrições. Mexe aqui e ali e pronto, formulário no ar. Finalmente.

Estamos neste bonde preparando este evento há quase 1 ano, de modo totalmente voluntário. Só pode ser muito amor pela causa, mesmo. Paixão, sua danada! A gente, os malucos que fazem eventos TEDx, sabe muito bem a intensidade de emoções e reflexões que provocamos nas pessoas que acompanham este evento acontecer. Ralamos pra caramba porque queremos que você tenha uma experiência extraordinária capaz de sacudir suas crenças, te tirar da zona de conforto, te emocionar, te colocar em contato direto com pessoas especiais que, como você, ou já atuam pelo melhor deste mundo ou querem muito fazer alguma coisa, mas não têm ideia de onde, nem como, nem quando, nem com quem. A gente curte assumir o papel de dar esse empurrãozinho.

Está tudo sendo preparado com amor, suor e lágrimas. Estamos ralando, mas com gosto, porque sabemos dos resultados que virão. Estamos nos guiando pelas cinco palavrinhas que nortearam o nosso concurso, olha só que coisa. Temos aplicado todos esses conceitos em nós mesmos, para materializar um lindo evento para vocês e para nós. Com carinho, sonhamos e juntos nos mobilizamos em ação. Tudo isso para te preparar uma bela surpresa...

O grande dia se aproxima.

Inscreva-se, indique o evento às suas redes.
Garantimos que será renovador.

Um grande abraço,
Karina Miotto